• mostra newsroom
  • Cintesis encontro
  • digiscope
  • CINTESIS leva inovação à Mostra da U.Porto + info
  • CINTESIS realizou Encontro com uma centena de investigadores + info
  • Inovação da U.Porto rastreia doenças cardíacas em crianças brasileiras - DigiScope - + info

CINTESIS leva 12 palestras à Mostra da U.Porto

Imagem 15 Mostra flyer

O CINTESIS vai promover um ciclo de 12 palestras durante a 15.ª Mostra da Universidade do Porto, que decorrerá entre 20 e 23 de abril, no Pavilhão Rosa Mota, no Porto.

Numa iniciativa que objetiva aproximar os investigadores da comunidade, num claro esforço de promoção da Comunicação da Saúde, o CINTESIS reuniu um grupo de investigadores de grande prestígio, aos quais juntou jovens promissores e alguns empreendedores, num ciclo de palestras que aborda áreas que vão da Medicina baseada em Evidência, à Bioética, passando pela Nutrição, pela Psicologia ou pela Informática Médica, por exemplo.

Desta forma, os palestrantes do CINTESIS vão passar pela zona central da Mostra da U.Porto durante os quatro dias da exposição, promovendo palestras relâmpago, com cerca de 20 minutos de duração.

Rui Nunes, responsável pelo grupo de investigação ManEthics do CINTESIS, abre este ciclo de palestras logo na sessão oficial de abertura, marcada para dia 20 de abril, quinta-feira, pelas 10h30. O tema da palestra do especialista em Bioética, que é proponente da Declaração Universal da Igualdade de Género à UNESCO, será “Igualdade de Género – precisa-se!”.

Para dia 20 de abril estão marcadas mais duas palestras da responsabilidade de investigadores do CINTESIS. Às 16h30, Gerardo Oliveira (do grupo Innovis) falará sobre transplantes, numa palestra intitulada “Quem pode ser doador de órgãos?”. E, às 17 horas, Manuel Gonçalves-Pinho vai traçar o quadro hospitalar relativamente às anomalias cromossómicas.

No dia seguinte, sexta-feira, pelas 16 horas, o psicólogo e investigador do grupo ProNutri Victor Viana estará na zona central para explicar o que determina o comportamento alimentar no contexto do sobrepeso e da obesidade, numa altura em que o excesso de peso é uma preocupação crescente, designadamente entre os jovens e adolescentes. Logo a seguir, às 18 horas, Jorge Polónia, investigador do grupo PharmaHTA do CINTESIS e autor do maior estudo sobre em hipertensão arterial em Portugal, revela o que a tensão arterial diz sobre um de nós, nomeadamente sobre o que comemos ou quanto pesamos. 

No dia 22 de abril, sábado, às 12h00, o CINTESIS levará à Mostra a investigadora e médica de família Luciana Couto, que conduzirá uma palestra sobre educação para uma vida com mais saúde e com mais qualidade. Meia hora depois (às 12h30), será a vez do investigador José Paulo Andrade (do grupo NeuroGen) ensinar a plateia a usar a alimentação para prevenir uma série de doenças, com base num conjunto de estudos que publicou sobre este tema. Às 15h00, o jovem investigador do CINTESIS João Vasco Santos irá abordar um assunto que merece atenção: a elevada prevalência das queimaduras em idade pediátrica.

Finalmente, no dia 23 de abril, domingo, o CINTESIS terá quatro investigadores envolvidos em atividades na zona central da Mostra da U. Porto. Às 12 horas, Daniel Pereira, da spin-off IS4Health, dará um workshop de auscultação a todos os que quiserem participar. Meia hora depois, pelas 12h30, Tiago Costa, CEO da VirtualCare, dará uma “lição” sobre informática médica, mostrando como “Um clique faz toda a diferença” na vida de muitas pessoas. Pelas 13h00, Alfredo Castro Mendes, um jovem médico e investigador, propõe-se desconstruir alguns dos “Mitos em Medicina”. A fechar, um dos juniores mais premiados do CINTESIS, Bernardo Sousa Pinto, falará sobre “Alergias a Medicamentos”, uma das suas áreas de estudo.

CINTESIS acolhe “School of MRI 2017”

mri 2017

O CINTESIS irá acolher, nos próximos dias 15, 16 e 17 junho, o Curso intitulado “School of MRI 2017”, subordinado ao tema “Clinical fMRI & DTI – Theory and Practice”. A organização local está a cargo de António Bastos-Leite, médico especialista, docente e investigador desta Unidade de I&D.

O objetivo do Curso é permitir um aprofundamento do conhecimento sobre fMRi (imagem por ressonância magnética funcional) e DTI (imagem por tensor de difusão), com o foco na prática clínica. Estas técnicas avançadas de neuroimagem são cada vez mais utilizadas no estudo do cérebro humano, quer em pessoas saudáveis, quer em doentes, fornecendo informação sobre a sua atividade e conexões.

António Bastos-Leite, V. Giampietro, D. Jones, A. Leemans, S. Lehéricy, R. Peeters, S. Rombouts, M. Smits, S. Wastling e S. Williams são alguns dos especialistas que estarão presentes no evento, cujo programa é dirigido por Siegfried Trattnig.

Poderão inscrever-se médicos e técnicos com bons conhecimentos das técnicas de ressonância magnética e um mínimo de três meses de experiência em imagem de ressonância magnética e/ou imagem por ressonância magnética funcional ou DTI.

O “School of MRI - education for physicians and technicians” tem sido realizado em diferentes cidades europeias, no âmbito da European Society for Magnetic Resonance in Medicine and Biology – ESMRMB.

As inscrições podem ser realizadas através do seguinte link: https://esociety.netkey.at/esmrmb/myschoolofmri/

CINTESIS leva inovação à Mostra da U.Porto

Mostra imagem news

De 20 a 23 de abril, no Pavilhão Rosa Mota

CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços da Saúde vai participar este ano, pela primeira vez, na Mostra da Universidade do Porto, que se realiza entre os dias 20 e 23 de abril no Pavilhão Rosa Mota (Porto).

Numa iniciativa que visa dar a conhecer à comunidade as suas atividades e a sua nova imagem, o CINTESIS vai integrar a ala da feira onde estarão presentes os mais importantes Centros de Investigação da Universidade.

Durante os quatro dias do evento, o CINTESIS vai refletir a multiplicidade de projetos que incorpora, com um stand composto por três áreas: uma dedicada à investigação, outra dedicada às suas spin-offs e uma terceira focada na vertente institucional onde será promovido o CINTESIS’ Quizz – um jogo que vai pôr à prova os conhecimentos dos participantes sobre este Centro de Investigação. Os investigadores desta Unidade de I&D vão ainda promover mais de uma dezena de palestras no palco principal da Mostra.

No dia 20, quinta, o CINTESIS apresenta os projetos ActiveAdvice e CPR Personal Trainer, bem como a spin-off FASTinov. O projeto ActiveAdvice vai testar a primeira versão de uma plataforma que reúne tecnologias da saúde para os mais velhos, pedindo aos mais jovens que criem a app perfeita para a avó! Mais tarde, os investigadores responsáveis pelo CPR Personal Trainer apresentarão o seu protótipo de reanimação cardiorrespiratória, que possibilitará que os participantes da Mostra aprendam a realizar uma manobra que salva vidas. Em paralelo, durante todo o dia, os participantes podem conhecer e saber como funciona o kit desenvolvido pela FASTinov que vai permitir diagnosticar em tempo recorde os agentes causadores de infeções.

Para sexta, ficam reservadas as participações dos projetos NanoSTIMA e Deus Ex Machina e da spin-off Medida. Promovido em cooperação com outros centros de investigação, o NanoSTIMA explora o potencial da Matemática na Medicina. Na Mostra, os cientistas vão demonstrar, através de jogos interativos, como é possível melhorar os diagnósticos clínicos através das probabilidades. Dedicado ao estudo da insuficiência cardíaca, o projeto Deus Ex Machina vai apresentar o SMARTBEAT - uma aplicação que mede a pulsação e o ritmo cardíaco à distância e a Medida colocará à disposição dos jovens várias apps na área da saúde respiratória, sempre com uma forte componente lúdica associada.

No sábado, dia 22, o stand do CINTESIS será conduzido pelos projetos METIS e pelas spin-offs HealthySystems e VirtualCare. O METIS é uma plataforma online que congrega mais de mil artigos sobre saúde numa linguagem clara e acessível. Simultaneamente, a HealthySystems vai mostrar as suas soluções de segurança informática e a VirtualCare vai promover demonstrações de um software que promete revolucionar o que sabemos sobre as gestações e os partos em Portugal – o ObsCare.

A participação do CINTESIS na Mostra encerra no domingo com a apresentação dos resultados do projeto IoGeneration e da spin-off IS4Health. O projeto IoGeneration permitiu demonstrar que as crianças portuguesas têm défice de iodo, o que as impede de desenvolver as suas competências cognitivas de forma ótima. Na Mostra, os cientistas vão realizar, com os participantes, experiências para verificação da quantidade de iodo no sal de cozinha. A participação da IS4Healthassegura a presença do IS4Learning – um estetoscópio digital desenvolvido por investigadores do CINTESIS que tem promovido a qualidade do ensino médico da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e de outras instituições internacionais.

Recorde-se que a Mostra da U.Porto é um evento de grande impacto social, que contabiliza mais de 18 mil visitantes, entre alunos do Ensino Secundário, jovens universitários, professores e outros participantes.

A entrada no evento é gratuitaConvidam-se os investigadores a visitarem o stand do CINTESIS na Mostra.

CINTESIS NA MOSTRA DA U.PORTO

20 A 23 DE ABRIL // PAVILHÃO ROSA MOTA

20 DE ABRIL (10-19h)

CINTESIS é…ActiveAdvice

De que é que a tua avó precisa? De ajuda para prevenir e/ou detetar quedas? De ajuda para se lembrar de tomar os medicamentos? Achas que as tecnologias podem ajudar e que um site e uma app podem aconselhá-la quanto às melhores soluções? Dá-nos uma ideia, ajuda-nos a desenvolver o projeto ActiveAdvice e ganha um prémio!

CINTESIS é…CPR Personal Trainer

Alguém cai no chão. Não está a respirar…E agora? A manobra de reanimação cardiorrespiratória é o primeiro passo da prestação de auxílio em casos de emergência como este. Os investigadores do CPR Personal Trainer desenvolveram um pequeno simulador que permite treinar a realização desta manobra. Na Mostra, os participantes serão desafiados a fazer compressões podendo observar a sua performance. Queres tentar?

CINTESIS é…FastINOV

A FastInov desenvolveu um kit de diagnóstico que permite determinar em 60 minutos a suscetibilidade das bactérias aos antibióticos, o que aumentará a rapidez e a eficiência do tratamento prescrito aos doentes que sofrem graves infeções bacterianas.  Esta inovação pode salvar muitos milhares de vidas. Vem conhecê-la!

21 DE ABRIL (10-19h)

CINTESIS é…NanoSTIMA

No dia-a-dia, quando tomamos decisões estamos a tentar reduzir a incerteza da situação (por ex: será que chego à Mostra U. Porto mais depressa a pé ou de autocarro?). No NanoSTIMA, acreditamos que a probabilidade é uma das melhores formas de definir e utilizar essa incerteza. Vem ver e experimentar como podemos transformar cálculos simples de probabilidade em poderosos sistemas de apoio à decisão clínica, e muito mais.

CINTESIS é…Deus Ex Machina

Já experimentaste uma app que mede a pulsação e o ritmo cardíaco em tua casa e envia para o médico no seu consultório? Sabes alguma coisa sobre insuficiência cardíaca? Então o stand do CINTESIS vai pôr o teu coração a bater mais rápido!

CINTESIS é…Medida

Queres pôr à prova a tua saúde respiratória? Então vem experimentar as aplicações móveis da Medida. Vais inspirar(-te) com a app Inspirers Mundi, divertir-te e testar os teus pulmões com a ARCADE e gravar a tua tosse com a Cough app!

22 DE ABRIL (11-20h)

CINTESIS é…METIS

Quantas vezes tens dúvidas sobre saúde? E quantas vezes recorres à Internet mas depois não sabes se deves confiar nas informações que leste? Junta-te ao METIS através do Facebook e tem acesso a centenas de informações 100% fiáveis.

CINTESIS é…HealthySystems

Num Mundo em que estamos todos ligados através da Internet, é importante protegermos a informação. Na Mostra, a HealthySystems vai apresentar aos participantes as soluções de segurança informática que desenvolveu ao longo de vários anos de investigação, com o objetivo de autenticar, integrar, registar, monitorizar e proteger os dados em Saúde.

CINTESIS é…VirtualCare

A VirtualCare está a implementar um software de recolha e análise de dados em todos os Serviços de Ginecologia dos hospitais públicos do Norte de Portugal. Esta inovação vai revolucionar a prestação de cuidados nos Serviços de Ginecologia/Obstetrícia. Queres saber como?

23 DE ABRIL (11-19h)

CINTESIS é…IoGeneration

Sabias que o iodo é um nutriente essencial para o funcionamento do nosso corpo? Uma ingestão insuficientes de iodo pode comprometer o teu desenvolvimento cognitivo… Vem ver como se avaliam os níveis de iodo e informa-te sobre como podes ter níveis saudáveis deste nutriente!

CINTESIS é…IS4Health

Chama-se IS4Learning, é um estetoscópio digital inovador da empresa IS4Health e integra agora as aulas dos estudantes da Faculdade de Medicina da U. Porto, com o objetivo de melhorar o ensino e a aprendizagem da auscultação cardíaca e pulmonar. Queres experimentar?

Investigador do CINTESIS defende mais articulação, proximidade e acompanhamento à pessoa com doença mental

imagem depressão

O Dia Mundial da Saúde, que se assinala a 7 de abril, foi dedicado, este ano, à depressão. O lema lançado pela Organização Mundial de Saúde é Depressão. Vamos falar!” (Depression: Let’s talk). Carlos Sequeira é um dos investigadores do CINTESIS que mais têm estudado e falado sobre os problemas existentes em Portugal nesta área.

O investigador alerta para a falta de continuidade nos cuidados prestados às pessoas com doença mental, nomeadamente a nível da Enfermagem, realçando a necessidade de implementar “respostas de base comunitária de maior proximidade” para “minimizar o impacto da crise financeira e social na saúde mental dos portugueses”.

Num artigo de reflexão publicado na Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, o Coordenador do grupo Inovação & Desenvolvimento em Enfermagem (IDE) – CINTESIS e professor da Escola Superior de Enfermagem do Porto (ESEP) afirma que “a crise revelou as fragilidades e a falta de preparação dos sistemas de saúde para lidar com os problemas sociais, que frequentemente constituem risco para o surgimento de psicopatologia”.

O responsável critica, sobretudo, “a falta de articulação estruturada entre as diferentes respostas, nomeadamente entre departamentos de Psiquiatria dos Hospitais, Unidades de Saúde Familiar (USF), Unidades de Cuidados na Comunidade (UCC) e Unidades de Saúde Pública (USP)”.
Para o investigador, é fundamental desenvolver estratégias de minimização das consequências das desigualdades económicas na população. Nesse sentido, defende a necessidade de “melhorar as respostas e o acompanhamento à pessoa com doença mental após a alta clinica, de forma a evitar o número sucessivo de reinternamentos e promover uma integração plena da pessoa na comunidade”.

É sabido que a doença mental está associada ao aumento do número de suicídios, de distúrbios relacionados com o álcool e da prevalência de depressão. “Há investigação que sugere, por exemplo, diferenças na estrutura cerebral das crianças que vivem em situação de pobreza”, contribuindo para “um menor desenvolvimento cognitivo”, pode ler-se no artigo.

De acordo com dados da Direção-Geral de Saúde, Portugal tem uma tem uma das taxas mais elevadas de perturbação psiquiátrica (22,9%), sendo que as perturbações da ansiedade (16,5%) e as perturbações depressivas (7,9%) são as mais relevantes. 

CINTESIS em força no Portugal eHealth Summit

Portugal eHealth Summit

O CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde vai estar fortemente representado no Portugal eHealth Summit – um evento de dimensão internacional dedicado à valorização do processo de Transformação Digital da Saúde, que decorre entre os próximos dias 4 e 6 de abril no Meo Arena, em Lisboa.

Ricardo Correia (investigador do CINTESIS e cofundador de três das spin-off’s com sede nesta Unidade de I&D) e Miguel Coimbra (cofundador da IS4Health e investigador do Instituto de Telecomunicações) foram convidados para participarem no evento, na qualidade de palestrantes.

Ricardo Correia vai encabeçar a sessão intitulada “From Knowledge to market (and to users): como criar valor em saúde com base na inovação digital”. Miguel Coimbra vai falar sobre "Os desafios das soluções móveis em saúde – Da investigação ao mercado", explicando “como transformar uma ideia de investigação num produto de ensino da auscultação e numa tecnologia de telemedicina com elevado potencial clínico”.

As empresas  VirtualCare HealthySystems  e IS4Health também foram selecionadas para integrarem a feira de inovação em Saúde no âmbito do Portugal eHealth Summit.

A VirtualCare, que obteve recentemente a chancela Spin-off U.Porto Inovação, vai apresentar, pela mão de Tiago Costa, o ObsCare – um software de recolha e análise de dados que está a ser instalado em todos os Serviços de Ginecologia dos hospitais públicos do Norte de Portugal e que começa a ser solicitado para o resto do país.

Já a HealthySystems  será representada por vários dos seus membros e dará a conhecer as suas soluções HS.HELIOS e HS.REGISTER, que agilizam as integrações de dados provenientes de sistemas de informação de saúde heterogéneos e garantem a rastreabilidade da informação clínica entre múltiplas plataformas.

Pedro Gomes vai estar à frente do stand da IS4Health. Esta startup vai realizar demonstrações com o IS4Learning, um estetoscópio digital associado a “um spotify do coração e dos pulmões onde os álbuns são doenças”.

Promovido pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, o Portugal eHealth Summit “ centra-se num modelo de debate, conferência e entrevistas sobre diversos temas relacionados com a Inovação de Sistemas de Informação, Interoperabilidade, TeleSaúde, Segurança e Proteção de Dados, Big-Data, Apps e Mobilidade, e-Procurement, e-Commerce, Literacia em Saúde, Robótica, Cloud, entre outros”.

Para os fundadores das spin-offs do CINTESIS, os convites endereçados pelo SPMS representam “um reconhecimento pelo sucesso destas empresas no desenvolvimento de soluções inovadoras na área das Tecnologias da Saúde” e “uma oportunidade de partilhar lições aprendidas com o ecossistema nacional de inovação”.

CINTESIS inova na prevenção e tratamento da doença inflamatória intestinal

Uma equipa de investigação do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, sediado na Universidade do Porto, desenvolveu uma ferramenta online que permite predizer como irá evoluir a doença inflamatória intestinal, nomeadamente, a doença de Crohn. Este instrumento vai servir para apoiar a decisão dos médicos na escolha e acompanhamento do tratamento para cada doente, de forma a garantir o melhor controlo da patologia.

A doença inflamatória intestinal inclui duas patologias diferentes: a doença de Crohn e a colite ulcerosa. Tratam-se de doenças incapacitantes, de causa desconhecida, que podem afetar qualquer parte do intestino.  Os pacientes que sofrem destas doenças vêm a sua qualidade de vida (pessoal, social e profissional) muito afetada. No entanto, só muito recentemente é que se passou a verificar uma preocupação com a manutenção da qualidade de vida destes doentes, através da redução do número de cirurgias a que são submetidos e das hospitalizações a que são sujeitos.

Cláudia Camila Dias, investigadora principal deste projeto, realça que esta ferramenta permite “prever a evolução da doença em cada paciente e adaptar a terapêutica, de forma rápida, eficiente e nada invasiva, ou seja: sem necessidade de recorrer a testes genéticos nem laboratoriais”.

A especialista em Bioestatística do CINTESIS e do Departamento de Medicina da Comunidade, Informação e Decisão em Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), explica que este modelo de prognóstico na doença inflamatória intestinal se baseia na “recolha de dados demográficos e informações clínicas facilmente obtidas em consulta, como a idade em que o paciente foi diagnosticado, o uso de corticoides, a existência de doença perianal e os hábitos tabágicos, por exemplo”.

Para o desenvolvimento desta ferramenta, foi necessário estudar de forma aprofundada a relação entre a doença inflamatória intestinal e as diferenças demográficas e clínicas dos pacientes. No âmbito desse trabalho prévio, foi possível averiguar que os doentes com Crohn com menos de 40 anos, que foram tratados com corticoides e que sofrem de doença perianal estão em maior risco de apresentarem doença incapacitante. No caso dos pacientes com colite ulcerosa, são os homens, com doença extensa e que usam corticoides os que estão em maior risco de atingir níveis mais graves da doença, que exijam a remoção de parte do intestino.

Os investigadores avaliaram ainda o impacto que o uso de imunossupressores – um tipo de tratamento que diminui a atividade do sistema imunológico do paciente, baixando a inflamação – têm na evolução da doença inflamatória intestinal. As análises realizadas revelaram que os doentes a quem estes medicamentos são prescritos mais tardiamente são operados mais vezes.

Esta ferramenta vai ser “integrada no sistema de interface com a base de dados do GEDII – Grupo de estudos da doença inflamatória intestinal para ser utilizada pelos clínicos”, explica Cláudia Dias, salientando que este instrumento “é completamente funcional, expondo as capacidades analíticas e preditivas desenvolvidas nos modelos criados”. O sistema será usado pelos gastrenterologistas durante a consulta de especialidade, através da utilização da interface com a base de dados da consulta.

O projeto, que resultou em vários artigos publicados em revistas científicas como o Journal of Crohn’s and ColitisInflammatory Bowel Disease e a PLoS One, foi desenvolvido em colaboração clínica com o gastrenterologista Fernando Magro, e colaboração científica com os investigadores do CINTESIS Pedro Pereira Rodrigues, Raphael Oliveira, Guilherme Macedo e Altamiro da Costa Pereira.

CINTESIS News - Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba as nossas notícias diretamente no seu email.

 

Siga-nos

 facebook 001  Linkedin 001  RSS 001

 

 

CINTESIS new

FMUP   ICBAS  UA   NOVA   UALG   UALG   ISEP  ESEP

FCT  QREN    UE

© CINTESIS - Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde
Faculdade de Medicina da Universidade do Porto