• mostra newsroom
  • Cintesis encontro
  • digiscope
  • CINTESIS leva inovação à Mostra da U.Porto + info
  • CINTESIS realizou Encontro com uma centena de investigadores + info
  • Inovação da U.Porto rastreia doenças cardíacas em crianças brasileiras - DigiScope - + info

CINTESIS inova na prevenção e tratamento da doença inflamatória intestinal

Uma equipa de investigação do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, sediado na Universidade do Porto, desenvolveu uma ferramenta online que permite predizer como irá evoluir a doença inflamatória intestinal, nomeadamente, a doença de Crohn. Este instrumento vai servir para apoiar a decisão dos médicos na escolha e acompanhamento do tratamento para cada doente, de forma a garantir o melhor controlo da patologia.

A doença inflamatória intestinal inclui duas patologias diferentes: a doença de Crohn e a colite ulcerosa. Tratam-se de doenças incapacitantes, de causa desconhecida, que podem afetar qualquer parte do intestino.  Os pacientes que sofrem destas doenças vêm a sua qualidade de vida (pessoal, social e profissional) muito afetada. No entanto, só muito recentemente é que se passou a verificar uma preocupação com a manutenção da qualidade de vida destes doentes, através da redução do número de cirurgias a que são submetidos e das hospitalizações a que são sujeitos.

Cláudia Camila Dias, investigadora principal deste projeto, realça que esta ferramenta permite “prever a evolução da doença em cada paciente e adaptar a terapêutica, de forma rápida, eficiente e nada invasiva, ou seja: sem necessidade de recorrer a testes genéticos nem laboratoriais”.

A especialista em Bioestatística do CINTESIS e do Departamento de Medicina da Comunidade, Informação e Decisão em Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), explica que este modelo de prognóstico na doença inflamatória intestinal se baseia na “recolha de dados demográficos e informações clínicas facilmente obtidas em consulta, como a idade em que o paciente foi diagnosticado, o uso de corticoides, a existência de doença perianal e os hábitos tabágicos, por exemplo”.

Para o desenvolvimento desta ferramenta, foi necessário estudar de forma aprofundada a relação entre a doença inflamatória intestinal e as diferenças demográficas e clínicas dos pacientes. No âmbito desse trabalho prévio, foi possível averiguar que os doentes com Crohn com menos de 40 anos, que foram tratados com corticoides e que sofrem de doença perianal estão em maior risco de apresentarem doença incapacitante. No caso dos pacientes com colite ulcerosa, são os homens, com doença extensa e que usam corticoides os que estão em maior risco de atingir níveis mais graves da doença, que exijam a remoção de parte do intestino.

Os investigadores avaliaram ainda o impacto que o uso de imunossupressores – um tipo de tratamento que diminui a atividade do sistema imunológico do paciente, baixando a inflamação – têm na evolução da doença inflamatória intestinal. As análises realizadas revelaram que os doentes a quem estes medicamentos são prescritos mais tardiamente são operados mais vezes.

Esta ferramenta vai ser “integrada no sistema de interface com a base de dados do GEDII – Grupo de estudos da doença inflamatória intestinal para ser utilizada pelos clínicos”, explica Cláudia Dias, salientando que este instrumento “é completamente funcional, expondo as capacidades analíticas e preditivas desenvolvidas nos modelos criados”. O sistema será usado pelos gastrenterologistas durante a consulta de especialidade, através da utilização da interface com a base de dados da consulta.

O projeto, que resultou em vários artigos publicados em revistas científicas como o Journal of Crohn’s and ColitisInflammatory Bowel Disease e a PLoS One, foi desenvolvido em colaboração clínica com o gastrenterologista Fernando Magro, e colaboração científica com os investigadores do CINTESIS Pedro Pereira Rodrigues, Raphael Oliveira, Guilherme Macedo e Altamiro da Costa Pereira.

CINTESIS apoia “Seminário Internacional de Investigação em Enfermagem de Saúde Mental”

A Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, o Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar (ICBAS) e a Secção Regional do Norte da Ordem dos Enfermeiros organizam, com o apoio do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, o Seminário Internacional de Investigação em Enfermagem de Saúde Mental. O evento vai decorrer para os dias 12 e 13 de junho, nas instalações do ICBAS.

De acordo com Carlos Sequeira, líder do grupo de investigação NursID do CINTESIS e presidente do Seminário, o evento visa "promover a divulgação dos resultados de investigação de doutorandos em Enfermagem, com o principal objetivo de facilitar a sua transladação para a prática clínica".

O programa contempla a apresentação de "vários resultados de investigação de teses de doutoramento, de Portugal e Espanha, com destaque para os cuidadores, as intervenções psicoterapêuticas em enfermagem e a saúde mental positiva", bem como um debate sobre o "Impacto da investigação em Enfermagem de Saúde Mental na Prática Clínica".

Programa disponível aqui. Para mais informações, contacte a organização através do e-mail  This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it. .

CINTESIS e ESEP promovem Congresso Internacional de Investigação, Inovação e Desenvolvimento em Enfermagem

O CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde e a ESEP - Escola Superior de Enfermagem do Porto, através do grupo de investigação NursID, promovem o CONGRESSO INTERNACIONAL DE INVESTIGAÇÃO, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM ENFERMAGEM, que decorrerá nos dias 6 e 7 de julho de 2017, nas instalações da ESEP.

De acordo com Carlos Sequeira, investigador do CINTESIS e da ESEP, este congresso tem como objetivo “proporcionar um espaço de partilha de conhecimentos, experiências e evidências resultantes de investigação, de forma a potenciar as oportunidades de estabelecimento de parcerias entre investigadores, com destaque para os projetos de investigação em desenvolvimento no grupo NURSID.

O programa integra várias modalidades – conferências, workshops, posters, comunicações orais e mostra de projetos, de forma a possibilitar a divulgação de projetos/resultados de investigação, o desenvolvimento de competências de investigação e a contribuir para a discussão de temas como:

  • o valor da investigação em saúde;
  • o papel da investigação na mudança social;
  • a importância da evidência cientifica,
  • a transladação do conhecimento para a clínica,
  • a simulação como “ferramenta” pedagógica de suporte à tomada de decisão,
  • a investigação sobre a violência das pessoas mais velhas;
  • relevância da investigação em literacia em saúde;
  • Centros Académicos/clínicos de investigação.

Submissão de propostas para comunicações e/ou posters até 31 de maio de 2017. Todas as propostas aceites para apresentação terão a possibilidade de publicar artigo (short Paper – até 3500 palavras), de forma gratuita, em revista especial para o congresso – proceedings – Indexado na Web of Science.

Mais informações disponíveis em http://www.esenf.pt/pt/i-d/eventos/cintesis-2017/.

IS4Health distinguida como “Most Investable Company” pela EUREKA E!NNOVEST

IS4Health

A IS4Health, spin-off CINTESIS, recebeu esta semana a distinção da rede EUREKA E!NNOVEST como “Most Investable Company”. A atribuição aconteceu durante o EUREKA Network - Academia de Investimento E!nnovest, que se realizou em Cascais, no passado dia 27 de março, reunindo empreendedores e investidores nacionais e internacionais de referência.

“Uma fase crucial para uma start-up é a captação de investimento de risco que permita acelerar o seu crescimento, especialmente nos mercados internacionais. Esta distinção fortalece a credibilidade da empresa perante estes investidores, aumentando de forma muito significativa a sua capacidade de captar financiamento de risco”, reage Miguel Coimbra, cofundador da IS4Health e investigador do Instituto de Telecomunicações (IT).

A nova “Spin-off U.Porto”, chancela que lhe foi recentemente atribuída, destacou-se num conjunto de 19 participantes selecionados de entre um número não divulgado de candidatos. Esta seleção final incluiu empresas nacionais e estrangeiras, nomeadamente de Espanha e da Suécia. 

De acordo com Miguel Coimbra, “após a consolidação com os primeiros clientes nacionais e internacionais, que validaram o modelo de negócio e de marketing escolhidos, a estratégia presente da empresa é de expansão internacional, identificando ‘early adopters’ em mercados distintos, seguidos de negociações de parcerias com distribuidores locais para estes mercados”.

Quanto ao futuro, “a IS4Health vai atacar o interessante mercado da formação médica continuada, em que não existe capacidade técnica para o ensino e certificação das capacidades de auscultação”.

I European Forum On Prevention And Primary Care dedicado a prevenção quaternária

1 european

Realiza-se, entre os próximos dias 3 e 4 de abril, no Porto, o I European Forum On Prevention And Primary Care. Esta primeira edição terá como tema “Prevenção Quaternária – A Arte do “Primum non Nocere”, expressão em latim que significa, literalmente, “primeiro, não prejudicar” e se refere à necessidade de prevenir e evitar riscos, danos ou custos para os doentes em resultado de exames ou de intervenções médicas desnecessárias.

Entre os oradores contam-se, por exemplo, Marc Jamoulle (Universidade de Liège) Bruno Heleno (NOVA Medical School), Ted van Essen (Centro Médico Universitário de Utrecht), Mateja Bulc (chair do EUROPREV network) e John Brodersen (Universidade de Copenhaga), para além de Carlos Martins, investigador do CINTESIS e membro da organização do evento, que irá propor algumas estratégias para reduzir a prescrição e realização de testes ou exames de diagnóstico que não se justificam, tendo em conta a melhor evidência científica disponível.

Outros temas como o sobrediagnóstico no screening do cancro, os erros de diagnóstico em doenças respiratórias crónicas, os prós e contras da vacinação contra a gripe, a estratégia racional para evitar o subdiagnóstico e o sobretratamento na doença mental e os programas de prevenção para grupos minoritários também estarão em debate.

Apoiado pelo CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, o evento é organizado pelo EUROPREV - European Network for Prevention and Health Promotion in Family Medicine and General Practice e pelo Wonca - World Organization of Family Doctors, com o apoio do Departamento de Medicina da Comunidade, Informação e Decisão em Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar.

As inscrições estão abertas, decorrendo até ao início de abril, em http://www.mgfamiliar.net/EUROPREV/.

Coordenador do CINTESIS fala sobre ligação das Universidades às Empresas em evento do Health Cluster Portugal

altamiro mar 2017

Altamiro da Costa Pereira, coordenador do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, foi convidado pela U.Porto Inovação para representar a Universidade numa sessão sobre “Como aproximar as Universidades às Empresas para a Inovação em Saúde”. Integrada no Encontro com a Inovação em Saúde do Health Cluster Portugal, a sessão decorre no próximo dia 29 de março, nas instalações do I3S.

O nome do diretor de Departamento de Medicina da Comunidade, Informação e Decisão em Saúde (MEDCIDS) da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) foi sugerido “por tudo que tem feito de bom na ligação da Universidade à Indústria e na promoção da terceira missão da U.Porto”, revela fonte da U.Porto Inovação.

A sessão contará com a participação de outros dois especialistas na ligação da Academia ao tecido empresarial (um representante da Universidade de Trás-os-Montes e um representante da Universidade do Minho) e de um parceiro internacional no projeto europeu Helium.

CINTESIS News - Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba as nossas notícias diretamente no seu email.

 

Siga-nos

 facebook 001  Linkedin 001  RSS 001

 

 

CINTESIS new

FMUP   ICBAS  UA   NOVA   UALG   UALG   ISEP  ESEP

FCT  QREN    UE

© CINTESIS - Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde
Faculdade de Medicina da Universidade do Porto